coleta seletiva de lixo

Coleta seletiva de lixo: como fazer?

Você já ouviu falar a respeito de coleta seletiva de lixo? Ela é um método de otimização dos processos de destinação adequada do lixo. O lixo, por sua vez, é uma palavra geral para designar as palavras resíduo e rejeito. Os resíduos são os descartes que podem ser reutilizados de alguma forma, por meio da reciclagem ou da reutilização. Já os rejeitos são aqueles que não podem ser utilizados novamente.

A importância da coleta seletiva de lixo

A coleta seletiva de lixo é importante justamente para a redução dos impactos ambientais do consumo. Quando separamos o lixo, facilitamos muito o seu tratamento e diminuímos as chances de impactos nocivos para o ambiente e para a saúde da vida no planeta. A coleta seletiva exige que os descartes sejam separados em úmidos, secos, recicláveis e orgânicos.

Dentro dessas categorias há subcategorias. Os recicláveis, por exemplo, abrangem o alumínio, o papel, o papelão e alguns tipos de plástico, entre outros. Quando os materiais recicláveis são coletados e chegam às cooperativas, eles são separados minuciosamente para serem reaproveitados. O que não é reaproveitado é levado para aterros sanitários.

Todo esse caminho tem muita importância, pois o lixo descartado incorretamente pode acabar indo parar em bueiros e valas, entupindo-as. Ou então, ele pode se acumular em locais inadequados formando focos de proliferação de mosquitos e de outros vetores de doenças. O vento e a chuva podem transportar o descarte para mares e rios. Nesse caso, até mesmo o lixo descartado corretamente pode ser transportado pelo vento e pela chuva e parar no oceano. Entretanto, os descartes incorretos têm mais chances de serem transportados dessa forma.

Todos têm responsabilidade pela disposição final dos resíduos sólidos

Materiais perigosos como pilhas e objetos eletrônicos, quando descartados incorretamente, poluem o solo, a água e às vezes até mesmo o ar de maneira significativa.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) prevê a não geração de resíduos sólidos e, quando gerados, a disposição final ambientalmente adequada. Para isso, a PNRS estabelece que a responsabilidade pelo ciclo de vida dos produtos deve ser compartilhada. Ou seja, todos têm responsabilidade pela disposição final ambientalmente adequada dos resíduos sólidos.

A mesma lei estabelece que haja integração e emancipação econômica dos catadores de materiais reutilizáveis no ciclo de vida dos produtos. Dessa forma, a importância da coleta seletiva também se dá no nível econômico-social.

A prefeitura não recolhe o material reutilizável. O que fazer?

Não é preciso esperar a prefeitura oferecer os serviços de coleta seletiva para dar a disposição mais adequada para seus resíduos. Em conjunto com os moradores do seu condomínio ou colaboradores da sua empresa, é possível implantar a coleta seletiva.

Você parou e pensou que a implantação da coleta seletiva no seu condomínio pode sair cara? Saiba que, ao contrário, se você também implantar a reciclagem é possível conseguir recursos financeiros para o condomínio. Entenda melhor esse tema nas matérias: “Os primeiros cinco passos para começar a reciclar” e “Reciclagem pode ser revertida em lucro para condomínios”.

Empresas especializadas em coleta

Para facilitar a implantação da coleta seletiva e a gestão consciente de resíduos, existem empresas especializadas que oferecem um projeto específico para viabilizar a coleta seletiva em condomínios e empresas. A relação custo/benefício acaba compensando, considerando o aumento da eficiência do processo, para além de outros benefícios.

Inline
Please enter easy facebook like box shortcode from settings > Easy Fcebook Likebox
Inline
Please enter easy facebook like box shortcode from settings > Easy Fcebook Likebox